sexta-feira, 25 de junho de 2010

O Mistério do Degrau Escorregadio - Detective Igor Matos

Há muito, muito tempo, no templo de Júpiter, um deus asiático, o quinto degrau para entrar no templo era muito escorregadio.
Num dia, Hong-Kong, um velho índio, e Ramphore, o seu tigre de estimação, foram passear pela selva tropical. Hong-Kong era o filho do chefe de uma tribo da Índia. O Ramphore era o primo do maior tigre do Mundo. Viram as salamandras, as rãs, os abutres, as begónias-roxas, os lírios…Foram ao templo de Júpiter, depositar lá, uns batuques que encontraram em África do Sul.
Mas, quando Hong-Kong pisou o famoso degrau, escorregou e caiu. Ramphore, com medo de também escorregar, saltou o quinto e foi para o sexto degrau. Hong-Kong chorava de dor com as pernas todas esfoladas.
Hong-Kong tinha ficado ferido e Ramphore já entrava no desespero. Mas, numa doce melodia, Júpiter surgiu do nada e, com o seu tridente dourado, lançou a sua magia da bondade, dizendo:
- Cura esta ferida, pois ela será tua amiga!
E rapidamente, Hong-Kong sentiu-se completamente renovado.
Quando já tinham depositado os tais batuques, mesmo à saída, Ramphore escorregou e ficou com a pata dianteira a derramar sangue.
Júpiter estava ausente e não pôde ajudar o pobre felino. Hong-Kong pensou nas palavras que Júpiter disse quando ele caiu e disse-as a Ramphore:
- Cura esta ferida, pois ela será tua amiga.
Já a caminho de casa, Ramphore avistou uns ladrões de bancos e Hong-Kong, rapidamente, fez com que eles se fossem embora.
Ramphore e Hong-Kong deram marcha-atrás, investigaram o quinto degrau. No quinto degrau dizia Maré Baixa e Hong Kong disse o mesmo a Júpiter e ele disse que era o nome de uma ex-auxiliar do templo. E finalmente resolveram o problema.
A Maré Baixa lavou com um antídoto o quinto degrau e, assim, o degrau ficou escorregadio. Júpiter quando teve conhecimento do caso, arranjou logo uma solução. A solução era: fazer o antídoto novamente e por um bocadinho dele no degrau. Isso ia resultar, porque o antídoto só faria efeito da primeira vez, e à segunda o efeito desaparecia.
Júpiter, com a ajuda de Hong-Kong e Ramphore, fez isso e essa solução resultou às mil maravilhas.
Depois de um dia de aventura, Hong-Kong disse a Ramphore:
- Isto é que foi um dia daqueles mesmo à maneira. E Ramphore concordou.
No dia seguinte, Hong-Kong acordou poucos minutos depois de Ramphore, e os dois foram novamente passear pela selva tropical.
Desta vez, levaram uma cesta feita de ráfia e apanharam amoras, mirtilos e framboesas para a sobremesa.
Depois de almoçarem, Ramphore e Hong-Kong foram ter com Júpiter e, desta vez, ninguém se feriu. Júpiter estava a escrever um relatório de paz para o Iraque e o Afeganistão.
Depois de escrever esse enorme relatório de duas folhas e meia, Júpiter foi ter com os seus amigos, para lhe dar uma coisa a cada um, um trompete de prata do século IV para o Hong-Kong e uma bandeira do Brasil para o Ramphore.
Depois de Ramphore, Hong-Kong e Júpiter verem as estátuas feitas de bronze do museu, foram a um repuxo de água potável, a cinquenta e cinco metros do templo, refrescar as suas mentes, por causa do dia anterior.
Mesmo ao pé do repuxo, estava uma pedra com uma mensagem gravada. A mensagem dizia:
- Respeita os adversários.
E, de repente, dois ninjas mascarados começaram a agredir Hong-Kong e Ramphore atacou-os com as suas garras.
Hong-Kong pensou na mensagem e, depois de Ramphore derrotar os ninjas, Hong-Kong disse para respeitar os ninjas e foram-se embora para sua casa.
No terceiro dia, Ramphore acordou com umas dores nas pernas e no pescoço.
Mas, passados alguns minutos, tomou um xarope de dentes de tubarão-branco e sentiu-se muito melhor. Hong-Kong tinha-se levantado mais cedo para ir ao Mercado Mar Negro comprar laranjas e sumo de goiaba,
Depois de Ramphore ir comer sete quilos de carne de vaca, Hong-Kong chegou a casa. Ramphore e Hong-Kong foram procurar ouriços-cacheiros ao pé das traseiras do templo.
Júpiter ouviu barulho e foi ver o que se passava. Eram dois cães-selvagens que estavam a morder um pobre habitante de uma aldeia. Júpiter reflectiu a sua bondade nos cães-selvagens e eles pararam de morder o habitante. Hong-Kong e Ramphore encontraram Júpiter e perguntaram se podia escrever um relatório de paz para a Turquia e para o Chile.
Júpiter fez o favor e depois de escrever tanto, Júpiter ofereceu uma viagem às Honduras. Hong-Kong aceitei e Ramphore também. Chegaram e visitaram o cais de uma cidade. Mas caíram ao mar e ficaram submersos.
Um nadador salva-vidas salvou Ramphore e Hong-Kong e ofereceu-lhes mil e uma moedas de ouro.
Hong-Kong ficou rico e partilhou as riquezas com Ramphore.
Quando chegaram à selva tropical, Hong-Kong e Ramphore foram ao templo depositar uma jóia lilás que encontraram numa gruta, nas Honduras.
Hong-Kong perguntou a Júpiter se queria dinheiro e Júpiter disse que a bondade valia mais do que o dinheiro.
Hong-Kong percebeu a mensagem e deu todo o dinheiro às famílias pobres do Uruguai.
No fim da tarde, Hong-Kong E Ramphore foram para casa, lancharam e foram ver televisão até à noite.


Detective Igor Matos

1 comentário:

  1. o texto está bué da fixe. continua assim.

    detective yolanda

    ResponderEliminar